28/05/2012

Das relações passadas...

... não mais falarei às relações presentes.

Refiro-me especificamente a relações sentimentais.

Acontece que, na fase do conhecimento mútuo, acaba-se por se partilhar alguns aspectos das relações que já se teve, nomeadamente algumas lições que se tiraram delas. E nessa fase, a opinião de quem ouve é quase sempre algo do género "mas como é que aceitaste uma situação dessas?" ou "daquilo que conheço de ti, não me pareces nada pessoa de fazer durar uma relação assim...", ou ainda "não mereces nada que te façam algo assim..."

Pois é meus amigos, o engraçado é quando vou a dar conta, parece tudo passado a papel vegetal: ali com umas certas diferenças, mas o resultado vai dar no mesmo.

Ao que parece, o que dá mesmo jeito é ter uma amiga.

Então sejamos sinceros desde início, como tanto gosto de frisar e como sempre concordam na importância da sinceridade.

Vai-se a ver e o meu conceito de sinceridade alterou com o novo acordo ortográfico e sou a única que anda enganada. (isso sem dúvida!)

E depois vem a história "não és tu, sou eu... tu mereces muito mais..."

Ora façam-me um favor e vejam lá se chegam a essa conclusão logo ali pelo primeiro ou segundo encontro, sim?

2 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

Concordo contigo. Não só por essa questão, mas também por ser cansativo estar sempre a explicar como cheguei até ali.

Tenho cada vez menos vontade de me explicar.

Anita Garcia disse...

E eu...
Aliás, menos vontade de me explicar e menos pensar que o devo fazer. Porquê? Para quê? Por quem?